Desde 2008 os motoristas estão mais cautelosos (ou deveriam estar). A Lei seca impôs toleância zero na combinação álcool e direção. Mas o que poucas pessoas sabem é que não é obrigatório fazer o teste do bafômetro.
Calma, ainda não se anime em beber umas cervejinhas e sair dirigindo sem medo de ser parado em uma blitz. Há alguns fatores que devem ser considerados antes que você diga ‘não’ ao policial. lei_seca
Primeiro de tudo, quando se fala em não obrigatoriedade o advogado usará como defesa o princípio de que ninguém é obrigado a criar provas contra si mesmo. Sim, o SEU advogado, porque você será processado e dependerá da decisão de um tribunal. O Juíz pode levantar outro princípio, o da integridade da vida, e você, dirigindo após beber é um perigo para outras pessoas. Além disso, o motorista estará sujeito às sanções administrativas prescritas no Código de Trânsito Brasileiro: multa de R$957,70, retenção da CNH por um ano, e apreensão do veículo até que alguém sóbrio habilitado possa vir buscá-lo.
O mesmo código prevê que a própria recusa em fazer o teste é uma infração, então alí mesmo você seria multado e todas as outras consequências citadas em cima. Mas se mesmo assim quiser negar, cuide como vai falar isso. Se o policial achar que você foi grosseiro, ou faltou com respeito, poderá prendê-lo em flagrante por desacato.
E se você comeu somente um bombom de licor, ou usou enxaguante bucal, fique prepardo. Você terá que se explicar, argumentar, e se tiver testemunhas, melhor. Ainda assim, isso pode te dar problemas. Se o policial ver que você não consegue nem fazer um 4, aí não há nada que você possa fazer. Em todo caso, quem não deve, não teme.

Anúncios